Já te contei?...

Porque há coisas que às vezes ficam por contar...

sexta-feira, 1 de dezembro de 2006

Afectos dispersos

Gosto de ser incógnita (pode parecer contraditório quando encho o blog de fotografias minhas, mas como este espaço é só meu e teu - que me conheces tão bem -, acabo por me sentir em casa...). Gosto de andar no meio de multidões, de caras desconhecidas, e ser apenas isso: uma cara desconhecida. É aí que reside a minha liberdade pessoal e é assegurada a minha privacidade.

Mas há momentos que me desarmam. Quando percebo que, nas rotinas que estabeleço vou criando afectos. Nem sempre sou simpática para quem não conheço, mas tento ser sempre, pelo menos, educada. Mesmo assim, tem-me valido algumas simpatias.

A senhora da mercearia que me reserva as clementinas mais sumarentas, o senhor do restaurante que tem sempre uma sopa guardada para mim (mesmo quando já são três da tarde, ou quando não gosto da sopa do dia, há sempre um pouco da que sobrou da de ontem - e que no dia seguinte está ainda melhor!), o companheiro da paragem de autocarro que pede ao motorista para esperar quando me vê a correr ao fim da rua... cuidados e atenções que me fazem sentir acolhida.

E que me confortam... Sabe bem. Sobretudo agora que está mais frio.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home